segunda-feira, 21 de junho de 2010

Você sabe o que é a EAD?

Ontem, no programa FANTÁSTICO, foi ao ar uma reportagem sobre cursos que se dizem "a distância", e que oferecem a realização dos cursos do Ensino Fundamental e Ensino Médio em poucos meses... sem qualidade alguma...
.
Para quem já não acredita nesta modalidade de ensino, foi o momento de "descer a lenha", mas creio que seja momento oportuno para refletir: será que você sabe o que é a EAD?
.
Não me proponho a delinear um tratado, mas trazer algumas referências para que você, caro internauta, possa refletir.

Para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96):

art. 80. O Poder Público incentivará o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino à distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada.

§ 1o - A educação à distância, organizada com abertura e regime especiais, será oferecida por instituições especificamente credenciadas pela União.

§ 2o - A União regulamentará os requisitos para a realização de exames e registros de diplomas relativos a cursos de educação à distância.

§ 3o - As normas para produção, controle e avaliação de programas de educação à distância e a autorização para sua implantação, caberão aos órgãos normativos dos respectivos sistemas de ensino, podendo haver cooperação e integração entre os diferentes sistemas.

§ 4o - A educação à distância gozará de tratamento diferenciado que incluirá:
I - custos de transmissão reduzidos em canais comerciais de radiodifusão sonora e de sons imagens.

II - concessão de canais com finalidades exclusivamente educativas.

III - reserva de tempo mínimo, sem ônus para o Pode Público, pelos concessionários de canais comerciais (Brasil, 1996, p. 27841).

Segundo Moore e Kearsley, (1996, p. 206) a definição mais citada de educação a distância é a criada por Desmond Keegan em 1980 que, baseando-se na definição do próprio Moore de 1972:
    O ensino a distância é o tipo de método de instrução em que as condutas docentes acontecem à parte das discentes, de tal maneira que a comunicação entre o professor e o aluno se possa realizar mediante textos impressos, por meios eletrônicos, mecânicos ou por outras técnicas. (NUNES, 1992).
Na definição de Otto Peters realizada em 1973:
    Educação/Ensino a Distância (Fernunterricht) é um método racional de partilhar conhecimento, habilidades e atitudes, através da aplicação da divisão do trabalho e de princípios organizacionais, tanto quanto pelo uso extensivo de meios de comunicação, especialmente para o propósito de reproduzir materiais técnicos de alta qualidade, os quais tornam possível instruir um grande número de estudantes ao mesmo tempo, enquanto esses materiais durarem. É uma forma industrializada de ensinar e aprender. (NUNES, 1992)
E na definição de Holmberg de 1977 :
    O termo "educação a distância" esconde-se sob várias formas de estudo, nos vários níveis que não estão sob a contínua e imediata supervisão de tutores presentes com seus alunos nas salas de leitura ou no mesmo local. A educação a distância se beneficia do planejamento, direção e instrução da organização do ensino. (NUNES, 1992)
Concluindo que seis (6) elementos são essenciais para uma definição clara (Moore e Kearsley, 1996, p.206):
    1. Separação entre estudante e professor;
    2. Influência de uma organização educacional, especialmente no planejamento e preparação dos materiais de aprendizado;
    3. Uso de meios técnicos - mídia;
    4. Providências para comunicação em duas vias;
    5. Possibilidade de seminários (presenciais) ocasionais.
    6. Participação na forma mais industrial de Educação.
A definição de Moore e Kearsley em 1996 difere daquela de 1973, mencionando a importância de meios de comunicação eletrônicos e a estrutura organizacional e administrativa específica (Moore e Kearsley, 1996, p.2):
    Educação a Distância é o aprendizado planejado que normalmente ocorre em lugar diverso do professor e como conseqüência requer técnicas especiais de planejamento de curso, técnicas instrucionais especiais, métodos especiais de comunicação, eletrônicos ou outros, bem como estrutura organizacional e administrativa específica.
Peacock (1996), define mais simplesmente como "os estudantes não necessariamente devem estar fisicamente no mesmo lugar, ou participarem todos ao mesmo tempo".

Para Garcia Aretio a Educação a Distância é

    um sistema tecnológico de comunicação bidirecional que pode ser massivo e que substitui a interação pessoal na sala de aula entre professor e aluno como meio preferencial de ensino pela ação sistemática e conjunta de diversos recursos didáticos e o apoio de uma organização e tutoria que propiciam uma aprendizagem independente e flexível.
Preti (1996) comenta a definição de Garcia Aretio, destacando os elementos:
  • a distância física professor-aluno: a presença física do professor ou do tutor, isto é do interlocutor, da pessoa com quem o estudante vai dialogar não é necessária e indispensável para que se dê a aprendizagem. Ela se dá de outra maneira, "virtualmente";
  • de estudo individualizado e independente: reconhece-se a capacidade do estudante de construir seu caminho, seu conhecimento por ele mesmo, de se tornar autodidata, ator e autor de suas práticas e reflexões;
  • um processo de ensino-aprendizagem mediatizado: a ED deve oferecer suportes e estruturar um sistema que viabilizem e incentivem a autonomia dos estudantes nos processos de aprendizagem.
  • o uso de tecnologias: os recursos técnicos de comunicação, que hoje têm alcançado um avanço espetacular (correio, rádio, TV audiocassete, hipermídia interativa, Internet), permitem romper com as barreiras das distâncias, das dificuldades de acesso à educação e dos problemas de aprendizagem por parte dos alunos que estudam individualmente, mas não isolados e sozinhos. Oferecem possibilidades de se estimular e motivar o estudante, de armazenamento e divulgação de dados, de acesso às informações mais distantes e com uma rapidez incrível.
  • a comunicação bidirecional: o estudante não é mero receptor de informações, de mensagens; apesar da distância, busca-se estabelecer relações dialogais, criativas, críticas e participativas.
Segundo a Universidade de Wisconsin, Continuing Education Extension (Tripathi, 1997)
    Educação a Distância é definido como uma experiência de ensino/aprendizagem planejada que usa um grande espectro de tecnologias para alcançar os alunos a distância e é desenhado para encorajar a interação com os alunos e a comprovar o aprendizado.
A University of Maryland System Institute for Distance Education (Tripathi, 1997) define o termo Educação a Distância como uma variedade de modelos educacionais que tem em comum a separação física entre os professores e alguns ou todos os estudantes.

A Universidade de Idaho define ED:

    No seu nível mais básico, Educação a Distância ocorre quando o professor e os alunos estão separados por distância física, e a tecnologia (voz, vídeo, dados e impressos), freqüentemente associada com comunicação presencial é usada como elemento de ligação para suprir a distância. Definição do Engineering Outrech da University of Idaho, do Guia: Distance Education at a Glance. (Tripathi, 1997)
Usando estas definições, o autor selecionou três critérios básicos para definir Educação a Distância:
  • Separação entre o professor e os alunos durante a maior parte do processo instrucional;
  • O uso de mídias instrucionais para unir professor e alunos;
  • A viabilidade de comunicação em duas vias entre professor e alunos.

E então, já podemos pensar um pouco mais sobre o que aventureiros e charlatões andam oferecendo como sendo EAD. Não compre gato por lebre!

Comente e nos diga qual sua opinião sobre os cursos na EAD.
Um abraço,

Fernando Pimentel
obs.: Texto original de " Rosângela Schwarz Rodrigues. Dissertação de Mestrado. Florianópolis, maio de 1998. Universidade Federal de Santa Catarina". (Com adaptações)

5 comentários:

Russelys disse...

INICIALMENTE, TE DOU PARABENS PELA INICIATIVA DE ESCLARESCER E DEFENDER O ENSINO À DISTÂNCIA.
ATUALMENTE ESTOU MATRICULADE EM DOIS CURSOS NA ULBRA, O PRIMEIRO EM GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA E O SEGUNDO EM ESPECIALIZAÇÃO EM GESTAO, COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGOGICA, POIS JA TENHO GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA NO CESMAC. ADMITO QUE, ANTES DE INGRESSAR TINHAS VARIAS DUVIDAS A RESPEITO DA EAD, MAS HOJE VEJO O QUANTO É IMPORTANTE TERMOS ESSA MODALIDADE ALIADA AO CURTO ESPAÇO DE TEMPO QUE TEMOS, DESSA FORMA, PODEMOS PROGRAMAR NOSSAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS SEM QUE, ESQUAÇAMOS DE NOSSA QUALIFICAÇÃO E CONSEQUENTEMENTE, MELHORANDO A QUALIDADE DE VIDA. HOJE SOU MAIS UMA ADEPTA E DEFENSORA DA EDUCAÇÃO À DISTÃNCIA, ACONSELHO E INCENTIVO QUE AINDA TINHA ALGUMA OBJEÇÃO. AGUARDO ANCIOSA, O PROXIMO ANO, FAREI EM BREVE O MESTRADO E TUTORIA DA EAD. UM ABRAÇO E FICA COM DEUS. RUSSELYS SANTOS

Fd Infromática - sua solução tecnologica disse...

EAD - Educação a distancia é um encino totalmente qualificado onde o aluno entra no site do magistre fazer suas leituras, trocar informações entre alunos e professor participar de foruns e chates enfim...Onde em qualquer lugar ou estados o alunos tem acesso a essas ferramentas de estudos lembrando quer o aluno tem tirar um dia para particirar das aulas prencencias ou trabalhos em equipes...É maravilhoso esse encino.Eu mesmo tive dificuldade no começo até então eu perceber que debende do totalmente do alunos fazer seu horario de estudo e fazer exercicios enfim...Têm que lê bastante mesmo envolve o aluno aprocurar as informações necessarias...

Anônimo disse...

Também gostaria de te parabenizar pela iniciativa de esclarecer o compromisso e a importãncia da EAD no nosso Brasil, é uma pena que um programa vinculado a um canal de televisão que foi um dos primeiros a ofercer educação a distância no país através dos telecursos Roberto Marinho,tenha distorcido de forma tão vulgar tal modalidade de ensino.
Genelva Pedrosa

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.