segunda-feira, 20 de abril de 2015

Luis Paulo Mercado é o mais novo professor titular da Ufal

Do site da Ufal

Docente do Cedu abordou a formação dos professores com as TICs em seu Memorial
Luiz Paulo Mercado em sua defesa para progressão na carreira docente
Jhonathan Pino - jornalista
Uma vida em 40 minutos: essa é a missão dada a um docente quando ele resolve passar pela avaliação para Professor Titular de uma universidade federal. Na última sexta-feira (17) foi a vez de Luis Paulo Leopoldo Mercado, do Centro de Educação (Cedu) da Universidade Federal de Alagoas, tentar cumpri-la, ao defender seu Memorial Acadêmico intitulado Formação e Letramento Digital de professores: memorial de um formador, aprovado com nota 10 pela banca avaliadora.
José de Melo Neto, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Nelson de Luca Preto, da Federal da Bahia (UFBA), se juntaram a Jenner Bastos, docente do Instituto de Física da Ufal, para fazer parte da comissão que avaliaria o percurso do docente. Em comum, os três ressaltaram a importância dos memoriais como resgate histórico e como modo de se evitar a repetição dos erros cometidos no passado.
Talvez, já antevendo essa demanda, Luis Paulo tenha adquirido o costume de fotografar e arquivar as informações de seus 21 anos de atividades na Ufal. Foi com esse material que o docente pôde resumir para a banca um pouco de sua carreira e dos vínculos criados entre sua formação e seu interesse pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).
Onde vida e obra se confundem
No Memorial, quando tentou abordar a formação de professores, com enfoque nas TICs, Luis Paulo pôde registrar a trajetória de sua própria formação a partir das transformações ocasionadas pelas novas mídias. Chegado na Ufal em 1994, ele seria o primeiro a lecionar uma disciplina recém-criada no curso de Pedagogia, Informática Educativa. O gaúcho viera formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) para iniciar não só uma carreira profissional, mas uma área ainda em implantação na instituição alagoana.
Blogs, construção de mapas, histórias em quadrinhos, jornais, estudos de casos, webquests, produção de vídeos foram algumas das possibilidades experimentadas por ele, ao longo de sua carreira. Por meio dessas áreas, o docente transcendera o ensino, a pesquisa e a extensão. “Nessas ações todas, eu fui vários sujeitos. Isso é uma das coisas mais ricas na academia. A carreira acadêmica permite você fazer muitas coisas ao mesmo tempo e em várias perspectivas”, afirmou Luis Paulo.
Depois, ainda acrescentou: “Quando eu fui docente, ação iniciada na Ufal, para mim foi o momento mais importante da minha vida e foi esta instituição que me deu condições que outra instituição não me daria, de desbravar. Porque, ao desbravar, a gente vai criando cenários e eu pude criar vários cenários aqui”, exaltou o docente durante a defesa.
Na obra, Luis Paulo Mercado refletiu sobre as aprendizagens obtidas nos estudos e nas atividades em sala de aula. Por meio de relatos, o docente apontou a familiarização dos professores de ensino superior e educação básica com os gêneros digitais. “Busquei novas metodologias e uso de TIC em perspectivas diversificadas. Procurei compreender a necessidade de mudar a forma de ensinar, estudei e ensinei estratégias válidas para os alunos, que o conduzissem ao êxito utilizando TIC”, afirmou.
Perspectivas para uma década
Luis Paulo Mercado também evidenciou seus planos de ação para os próximos nove anos de docência na Ufal. De acordo com ele, além de continuar suas pesquisas com o Grupo Tecnologias da Informação e Comunicação na Formação de Professores Presenciais e a Distância (TICFORPROD), também pretende desenvolver um projeto de doutorado, focado nas TICs. “Ampliarei os estudos sobre mundos virtuais 3D, aprendizagem móvel e uso de tablets na educação, exploração de softwares para pesquisa on-line, atividades em curso e concluirei a memória da EAD na Ufal”, detalhou.
Ainda este ano, Luis Paulo Mercado dá início ao curso de Especialização Educação na Cultura Digital e a formação dos professores das Ufal para a produção de Cursos Massivos Online Abertos (MOOC). No entanto, durante a defesa, o sentimento demonstrado pelo autor era de missão cumprida. “Finalizo este memorial com o sentimento do dever cumprido com muita dedicação, com muitos resultados e com a certeza de que ajudei a abrir muitas portas e a criar cenários antes impensáveis para as TICs na Ufal e também contribui para dar visibilidade a nossa Universidade”, discorreu na introdução do memorial.

Noticias desde la CUED del día 20/04/2015

Nueva Entrada Mooc: La presentación perfecta en PowerPoint no existe pero podemos
acercarnos:  http://bit.ly/1DrnvSQ

¿Qué es y cómo funciona el aprendizaje invertido? | http://sco.lt/4hjctF

CUED: El diseño instruccional de los cursos a distancia que se desarrollan en aulas
digitales | http://sco.lt/7E8bYn

[Cumbre de las Américas] Obama busca invertir en educación y energía limpia para
América Latina | http://sco.lt/93jjE1

La tecnología cambia el recurso pedagógico de los maestros | http://sco.lt/6l2Rg9

How to Help Students Make the Most of Their Local Libraries | Edudemic |
http://sco.lt/76P2GX

How to Get Kids Excited about Reading Infographic | http://sco.lt/5f3Eyf

Mesa redonda (educación y conectividad) y Premio iRedes 2015 |http://sco.lt/7OuoPB

Ignacio Martín: "Es la metodología lo que debe sufrir un cambio profundo" | El Blog
de... | http://sco.lt/8WAw8v

What Will Education Look Like in a More Open Future? | http://sco.lt/8pKrQH

terça-feira, 7 de abril de 2015

Entrevista na Rádio Educativa FM 107,7





Fotos na entrevista concedida ao jornalista Elias Passos, na Rádio Educativa FM 107,7 na manhã de hoje sobre a aprendizagem das crianças na cultura digital, e também sobre a EAD.

A aprendizagem das crianças na cultura digital

A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA CULTURA DIGITAL

RESUMO
O estudo analisa como as crianças incorporam e usam as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) em seus processos de aprendizagem, no contexto escolar e extra escolar, considerando que estas tecnologias fazem parte do cotidiano destas crianças e influenciam diretamente em seu desenvolvimento cognitivo. A pesquisa, enquanto método misto e configurada como Estudo de Caso, se fundamentou nos estudos histórico-culturais, a partir de Vygotsky e na análise emergente do aprendizado em rede, de Siemens e Downes. As crianças participantes da pesquisa fazem parte da cultura digital e apresentam especificidades e singularidades no aprender com e sobre as TDIC. No aporte teórico, destacam-se alguns conceitos relevantes para esta investigação: cultura digital, Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), estratégia cognitiva e Conectivismo. O processo de aprendizagem de 57 crianças do 5º ano do Ensino Fundamental foi acompanhado entre os meses de maio a agosto de 2014, a partir da observação em suas práticas no laboratório de informática de uma escola da rede privada de ensino de Maceió, como também nos momentos de intervalo de aulas (recreio), em conjunto com os instrumentos: questionário; entrevista semi-estruturada; planos de aula das professoras da série. Para compreender as respostas dos participantes nas técnicas utilizadas, foi incorporado um olhar comparativo para estabelecer relações entre o contexto escolar e o contexto extra escolar, utilizando apropriação tecnológica, uso das TDIC como estratégias de aprendizagem e compartilhamento, criação, inovação e colaboração em rede como categorias de análise. Os dados da pesquisa mostraram que as crianças estão inseridas na cultura digital e utilizam as TDIC como estratégia de aprendizagem de forma mais espontânea e inovadora nos ambientes externos à escola. O estudo, evidenciou que as TDIC por si mesmas, não dão conta do processo aprendizagem e que as interações, mesmo de forma limitada por meio das TDIC, são necessárias e potencializadoras do aprendizado.


Palavras-chave: Cultura Digital. Estratégia de Aprendizagem. TDIC. Conectivismo.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Eventos na área de EAD e TIC - 2015

VI Seminário Nacional Edapeci
Maceió – 11 a 13 de maio de 2015

III Seminário Diálogo em Educação a Distancia
Rio Grande – FURG – 27 a 29 de maio de 2015

IX Seminário Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação
Salvador – 01 a 02 de junho de 2015.

III Seminário Internacional As Redes e as Tecnologias: os movimentos sociais e a educação
Rio de Janeiro – UERJ – 8 a 11 de junho de 2015.

XVI Encuentro Internacional Virtual Educa
Guadalajara – México – 22 a 26 de junho de 2015.

4º Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa e 6º Simpósio Internacional de Comunicação e Educação
Aracaju – Sergipe – 5 a 7 de agosto de 2015.

37ª. Reunião Anual da ANPED
Florianópolis-SC – 04 a 08 de outubro de 2015-03-21

IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE) e X Conferência Latino-Americana de Objetos e Tecnologias de Aprendizagem
Maceió/AL – 16 a 30 de outubro de 2015
 Fonte: http://www.ufal.edu.br/cied/
CITIED – Congresso Internacional sobre la Tecnologia de la Información, Comunicación y Educación a Distancia
Santo Domingo – Republica Dominicana – 21 a 23 de outubro de 2015.

21º CIAED – Congresso Internacional ABED de Educação a Distância
Bento Gonçalves – RS – 25 a 29 de outubro de 2015

XII Congresso Nacional de Educação (EDUCERE)
Curitiba/PR – 26 a 29 de outubro de 2015

Edutec 2015 – XVIII Congreso Internacional EDUTEC
Riobamba – Equador 2015 - 17 a 20 de  novembro de 2015

5ª Conferencia FORGES
Coimbra - Portugal – 18 a 20 de novembro de 2015

XVII Internacional Symposium on Computers in Education (SIIE)
Setubal – Portugal – 25 a 27 de novembro de 2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

Tese de doutorado investiga aprendizagem das crianças na cultura digital

Cátia Pimentel – Especial para Cied
Nos últimos anos, o professor do Centro de Educação (Cedu) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Fernando Pimentel, vem pesquisando como as crianças na cultura digital usam as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) como estratégias de aprendizagem no contexto escolar e extraescola.
O resultado se transformou na tese de doutorado “A Aprendizagem das Crianças na Cultura Digital”, defendida e aprovada no último dia 12, no Cedu. A pesquisa foi orientada pela Profa. Dra. Cleide Jane de Sá Araújo Costa, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Ufal, e participaram da banca examinadora os professores doutores Luis Paulo Leopoldo Mercado (Cedu); Deise Juliana Francisco (Cedu); Maria Neide Sobral (UFS) e Fábio Paraguaçu Duarte da Costa (IC).
Alunos do mestrado e dourado do PPGE, professores, pesquisadores, familiares e amigos lotaram a sala de Seminários durante a defesa da tese, que foi indicada pela banca para publicação devido a sua relevância científica.
 “O doutorado me proporcionou avanço como pesquisador e também a possibilidade de aprofundar na área e realizar uma pesquisa considerada pela banca como significativa e relevante para a ciência”, ressaltou Pimentel, que também é vice-coordenador da Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied/Ufal).
Para ele, o doutorado contribui para o avanço da Educação a Distância (EAD) na Ufal, uma vez que aumenta a disposição e o interesse em pesquisas na área do uso das TIC na educação. “Os resultados da pesquisa trazem contribuições para repensar tanto a formação dos professores, como a metodologia do uso das TIC em processos de ensino e aprendizagem”.
Avanço no estudo das TIC
Como não poderia deixar de ser, o novo doutor em Educação da Ufal destaca o papel da família na nova conquista. “Sou grato pelo apoio. Como se exige muito de um doutorando, a família que compreende e apoia o aluno tem um papel primordial”.
Para a orientadora dele, Cleide Jane Araújo, o trabalho de pesquisa desenvolvido por Fernando Pimentel é relevante, possui base teórica e metodológica consistente que permite uma reflexão a respeito da utilização das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação pelas crianças que já estão inseridas na cultura digital, observando criteriosamente como as tecnologias são utilizadas no contexto escolar e fora dele.
“O estudo apontou dois aspectos importantes: o primeiro leva em consideração a utilização das TDIC pelas crianças de forma espontânea e como estratégia de aprendizagem; o segundo, as TDIC ainda não possui um lugar no contexto escolar que permita sua inserção no processo de aprendizagem por meio de práticas pedagógicas efetivas”.
O professor Luis Paulo Mercado, membro da banca e Decano do PPGE, destacou a importância da defesa da tese do professor Fernando Pimentel por ser a primeira da linha de pesquisa em Tecnologias da Informação e Comunicação do PPGE. A pesquisa nesta área começou desde a criação do PPGE. Antes essa linha de pesquisa era vinculada a de Formação de Professores. Com a ampliação do número de docentes na área se transformou em linha própria, tendo hoje mais de 80 dissertações defendidas e mais de 15 teses de doutorado em produção.
“O que mostra a importância da temática das tecnologias na formação no ensino superior na Ufal”, pontuou Luis Paulo, que vislumbra a possibilidade de se pensar num Doutorado na Ufal na área de TIC na Educação tendo em vista a ampliação do quadro de doutores na área.