domingo, 12 de outubro de 2008

E agora, mais uma lei...

E agora, mais uma lei?

Nosso país tem algo de interessante, no mínimo...!

Vejam a novidade: o ministro da educação, Sr. Fernando Haddad tem manifestado nos últimos meses a sua política de formação para os professores que estão na ativa e para aqueles que desejam ingressar no magistério. Ele não perde uma oportunidade para poder falar da importância da formação.

Até aí tudo bem!

Mas vejamos o que encontramos no site do MEC desde a última sexta-feira:

Para aumentar o percentual de professores formados com qualidade e oferecer formação àqueles que já trabalham, a minuta do decreto que institui o Sistema Nacional Público de Formação de Professores do Magistério está disponível para consulta pública e pode receber sugestões da sociedade pelo seguinte endereço: formacao.magisterio@capes.gov.br . A intenção é que o decreto seja assinado pelo presidente da República até dezembro.

Já li a referida MINUTA e me impressionou o fato de que a proposta coloca a educação a distância num segundo plano, e até mesmo desmerece as iniciativas e ações que o próprio governo tem realizado, inclusive por meio da Universidade Aberta.

Convido a todos para ler e observar como a educação a distância é colocada de lado... esquecendo-se do seu potencial.

O que também me preocupa é que esta medida (que deverá tornar-se lei) vem para justificar um investimento para modificar os números de professores graduados em atividade. Será que só faremos alguma coisa somente em função dos números? (me cheira a coisa para inglês ver. E me desculpem a franqueza!)

Mas, como há a indicação de um e-mail para receber sugestões, convido a todos para emitirem sua opinião e a manifestarem o seu pensamento...

Ê país... e será que teremos mais uma lei que não vai sair do papel?

4 comentários:

Cultura na Rede disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cultura na Rede disse...

Olá Fernando!
Agradeço sua visita no Cultura na Rede! Estamos sempe procurando informar ações que possam ser discutidas e disponiblizadas no contexto da escola. Coloco-me a disposição no que for necessário.
Parabéns pelo desafio!
A[]s Luiz

Jocelma disse...

Olá Fernando! Corroboro com sua preocupação no que tange à menção dada na minuta à educação à distância. Realmente, pode transparecer um descrédito da mesma. Entretanto, eu sou a favor de um ensino não somente presencial e também não somente à distância - é o que chamam por aí de Blended. Bom, não acredito num ensino presencial sem considerar as mídias online, assim como também não acredito num ensino puramente online. A questão
é que ainda estamos formando o público capaz de absorver uma educação à distância, assim como ainda estamos formando os docentes capazes de abstrair tal distância e se fazer tão presentes quanto se estivessem frente a frente com os estudantes. Enfim, uma educação multireferencial é a que pode talvez dar conta das demandas destes atuais estudantes. E voltando à minuta, tal documento parece querer abordar esta questão, mas não deixa claro isso.

Anônimo disse...

quem pode mim responder: gostaria de noticias sobre os cursos de tecnologo, por que nao aceitos no mercado de trabalho e tambem por que nao se inclui em uma norma regulamentadora. no entanto o mec lança mais cursos da categoria.o mercado de trabalho regeita este proficional por nao ser regulamentado. sem gostaria de esclarecimentos . obrigado.

dsssantana123@hotmail.com