domingo, 6 de julho de 2008

E os programas do Governo...

Qual a carta que o Governo Federal tem na manga?

Na semana passada dois fatos interessantes envolvendo educação rodaram as mídias jornalísticas do Brasil. A primeira foi sobre o piso nacional salarial, já confirmado pelo senado, esperando a sansão do presidente. Depois de tanto tempo “parece” que o ofício do educador vai começar a ser reconhecido. Mas não tenhamos dúvidas: este fato tem dois lado! Estamos em ano de eleição... e por aí vai...

Mas o fato que nos chamou atenção foi o lançamento do Programa Computador Portátil para Professor. O que foi incrível foi justamente o que o ministro Fernando Haddad comentou, e que aqui transcrevemos:

“Mas para nós, do MEC, inclusão digital não é simplesmente disponibilizar equipamento conectado; envolve, também, a capacitação das pessoas e produção de conteúdos educacionais a serem utilizados pelos educadores” (disponível no site do MEC).

Espero realmente que esta tal formação possa realmente habilitar os professores para usarem os equipamentos numa pedagogia envolvente. Como já disse em outra ocasião, não adiantar usar as novas tecnologias para continuar ministrando o mesmo tipo de aula, com os alunos escutando (e eles não estão escutando muito não hein!) e os educadores se esgoelando...

O que me preocupa é o grande número de evasão dos educadores que se inscrevem em cursos de formação continuada promovidos, inclusive pelo MEC. Só para termos uma visão, dos 400 educadores inscritos no primeiro módulo do e-Proinfo em Alagoas, mais da metade desistiu do curso. Motivos? Diversos.
Vamos ver no que vai dar. Eu estarei torcendo para que nós educadores possamos entrar de vez na era digital, aproveitando SABIAMENTE tudo aquilo que este “admirável mundo novo” pode nos oferecer.

Um comentário:

Neto disse...

Nós, esducadores e futuros educadores estamos e sempre estaremos enfrentando desafios continuos para envolver mais os nossos alunos. Temos que estar sempre em cosntante aperfeiçoamento não só na matéria que ministramos mais também nos assuntos e ferramentas em geral. É impossivel fugir das novas tecnologias, mais é preferivel um professor que utilize o quadro de maneira atrativa e dinâmica do que um que utilize n meios tecnologicos mediocremente. Esforço da nossa parte sempre teremos que fazer, e que bom se esse esforço for finalmente bem remunerado. Pois só a satisfação de ver o progresso dos nossos alunos não coloca o pão de cada dia em nossas mesas. Precisamos nos valorizar e assim seremos valorizados pelo próximo. Leia-se "Próximo", governo e empregadores.